Céu e Inferno parte I de Sebastião Filho

Olá Pessoal

Hoje tenho um convidado especial, que aceitou escrever para o blog, toda semana estará dando sequencia em seu tema em forma de  versos e prosas. Espero que gostem, 

Paz Profunda, 

Cris Amaro




Céu e Inferno

Parte I


Antes de mais nada, agradecemos pela atenção e pela constante busca do conhecimento, e por isso, dizemos que somos Eternos Buscadores da Verdade Verdadeira. A intenção é relatar um pouco de nossas experiências aqui neste plano físico e espiritual, e deixar que cada um some, subtraia, multiplique e divida as informações, formando assim, seu próprio parecer a respeito das obras Celestiais, Morais e Terrenas.

Subir até o sétimo Céu, leva-se  anos, cicatrizes e muitas marcas na alma e no corpo, mas, para descer e chegar até o Inferno, basta alguns minutos ou segundos.
Podemos comparar ambos? Quais os critérios?
Porque um é bom e o outro ruim?
Um é branco e o outro é preto?
 O branco é bom e o preto é mal?
Quem pode dar essas qualidades as aparências?
Ambos são criação do mesmo Deus.
Se Deus criou tudo, logo ele também criou o Mal.
Para que?
 Para dizermos depois que Deus é bom?
Porque então criar uma coisa antagônica?
Seria para  estar em evidência e prestes a ser glorificado ou chamado mediante situações que se manifeste sua criação?
Seremos todos Anjos Caídos?
Quando e quem de nós será reintegrado?
A Emanação nos diz que tudo surgiu por vontade e querer de Deus, dando origem a seres que o serviriam por toda uma eternidade, sem vontades próprias e sem requerer ou ter qualquer privilégio. Apenas uma Utopia Celestial, onde todos deveriam de joelhos, eternamente prostrados, adorarem a glória de Deus. Como ovelhas branquinhas, bonitinhas e submissas.
Mas isso não ocorreu, pois os tais Anjos caídos, acharam-se por sí só que tinham livre arbítrio, vontade própria e que, poderiam pensar, raciocinar, querer, ter, desejar, ir além, questionar e “ser”.
Nesse instante, surge nos Céus, “A Politica”.